[JBoss World 2008] James Ward: Porting from web 1.0 to RIA

James Ward, evangelista da Adobe, fez uma apresentação muito legal sobre como criar Rich Internet Applitacions com Flex, usando back-ends robustos em Java com JBoss.

Essa apresentação teve muito a ver com o artigo que ele publicou no InfoQ sobre como portar aplicações HTML tradicionais para Flex, escrito em conjunto com Shashank Tiwari (mais detalhes no blog do James).

No início ele mostrou um demo sensacional de uma aplicação de seguros que eles migraram de “web 1.0″ para Flex. Realmente o poder das interfaces ricas é impressionante. Outro demo interessante foi do eBay Desktop, que tem uma boa combinação de HTML e Flash (usando o Adobe AIR), resultando em uma interface muito bonita e funcional.

Ultimamente na Globo.com temos trabalhado muito com Flash, por causa do player do Globo Vídeos. Antes disso eu nunca tinha trabalhado com Flash e talvez por isso nunca tenha tido a oportunidade de sentir tão de perto seu potencial. Flash/Flex/AS3/AIR/etc abrem um novo mundo de possibilidades, dando o poder de criar interfaces com usabilidade e interatividade excelentes, e ainda com um forte apelo visual.

Ele apresentou o conceito de “SOARIA” (aliás, quando ele falou isso eu comecei a rir sozinho, parecia que ele estava falando “sorria”). O que ele chama de SOARIA significa SOA + RIA, ou seja, aplicações ricas (RIA) que interagem com o back-end através de serviços (SOA). IMHO, acho essa abordagem muito legal, porque evita aquela dependência cíclica que sempre acaba se formando entre o Flash e a aplicação.

No final, vimos um benchmark interessante, comparando vários modelos de carregamento de dados em aplicações RIA usando Flex, Laszlo e Javascript/Ajax, integradas com serviços SOAP, pure-XML, HTML e JSON. O benchmark analisa como cada um desses modelos impacta em performance, consumo de banda e consumo de memória na máquina cliente. Fiquei surpreso com os resultados… Por exemplo, a aplicação mostra que o Dojo tem uma performance surpreendentemente ruim quando comparado a aplicações Flex, que têm uma performance normalmente superior a todas as outras (atenção, se você for rodar os testes não se esqueça de desabilitar o Firebug antes!).

A Adobe realmente acertou com o Action Script 3, Flex, AIR e todos esses novos produtos que têm sido lançados. Tenho que tirar o chapéu.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

2 Responses to “[JBoss World 2008] James Ward: Porting from web 1.0 to RIA”

  1. Bruno says:

    Ei, ei. Sabe como se testa Flex de forma automatizada? Não se testa. E, no que depender de mim, só isso já é problema suficiente pra esquecê-lo.

    E sabia que (na versão grátis) o Flex só faz requisições POST e GET (nada de PUT nem DELETE)? Isso significa “nada de Rest, por enquanto”. Essas coisas a Adobe não diz… =)

  2. Ei, ei, veja essas buscas rápidas no Google:

    1) “flex automated testing”: Results 1 – 10 of about 707,000.
    Encontrei só na primeira página umas 4 feramentas diferentes de testes automatizados para Flex.

    2) “rest http put delete over post”: Results 1 – 10 of about 255,000.
    Já ouviu falar disso? Resolve o problema. Isso é dafeult do Ruby on Rails, por exemplo. Porque o Flex deveria suportar PUT e DELETE se os browsers em sí não suportam?

    Em cinco minutos já encontrei possíveis soluções para todos os seus problemas. Basta saber procurar ;)

Leave a Reply