Archive for March, 2010

O Open Hack Day BR 2010 foi sensacional!!!

Monday, March 22nd, 2010

O Yahoo! Open Hack Day Brasil 2010 foi sensacional! Não tenho palavras para descrever o quanto fiquei feliz ao ver a quantidade enorme de feedbacks positivos que tivemos sobre o evento. Foram três meses de muito trabalho para organizar todos os detalhes e estou imensamente feliz que deu tudo certo!

Yahoo! Open Hack Day Brasil 2010
Foto: Hackers no Senac para o Open Hack Day 2010

O evento começou uma semana antes com a comunidade brasileira de desenvolvedores mostrando sua força! Os Yahoos gringos ficaram assustados com o tamanho da movimentação dos hackers no nosso wiki interagindo e formando times. Mais um exemplo disso foi quando o Eduardo Otubo (@otubo, que inclusive foi o ganhador de uma das categorias) teve a excelente idéia de criar um canal no IRC (#brhackday no Freenode) onde o pessoal começou a trocar idéias antes mesmo do fim de semana.

Quando o evento começou tivemos alguns pequenos problemas de conexão com a Internet mas graças ao feedback dos hackers e ação instantânea do nosso time conseguimos resolver tudo bem rápido. Aliás, passei 36 horas lendo o Meme, Twitter, IRC, circulando e lendo nosso quadro de feedback para garantir que todos estavam tendo seus problemas resolvidos e que tinham as melhores condições possíveis para programar. Eu diria que o destaque foi quando começamos a ser bloqueados pela API do Twitter (porque todos estavam saindo pelo mesmo IP e chegamos rápido ao limite de 150 requests/hora) e o Cody Simms (@cody) rapidamente ligou para nossos amigos do Twitter, que aumentaram generosamente o limite permitido para o nosso IP!

O resultado foi que tivemos hacks incríveis e de altíssima qualidade. O Christian Heilmann (@codepo8) – que assim como o Cody (e o Anil) veio ao Brasil especialmente para participar do Open Hack Day – acabou de escrever um post no blog do Yahoo! Developer Network (YDN) sobre as categorias de prêmios e seus ganhadores:

  • Hack “Keep it local”: “PlaceHacker” por Maurício Maia – uma cópia do Yahoo! Placemaker que funciona com maior precisão no Brasil e com registros em português.
  • Melhor Hack com o Meme: “SlideMeme” por Carlos Duarte do Nascimento e Vanessa Sabino – um hack para postar apresentações do Slideshare no Yahoo! Meme, convertendo as apresentações para GIFs animadas.
  • Melhor hack com YQL: “Gas Finder” por Eduardo Otubo e Luciano Camilo – uma colaboração (na verdade apresentada em dois hacks separados) que criou uma tabela YQL com os preços de gasolina em São Paulo e uma aplicação em Android que te leva para o posto de gasolina mais barato próximo de você.
  • Hack de melhor utilidade pública:: “Infraero BR parser” por Danilo Bento – um conversor e API que permite encontrar rapidamente várias informações de vôos e aeroportos do Brasil.
  • Melhor hack com YAP: “filmes.cc” por David Ruiz e Ricardo Felipe Noronha Martins – uma aplicação com YAP que mostra os horários de cinemas no Brasil e permite convidar amigos para ir com você
  • Melhor hack escolhido pelos hackers e vencedor geral (sim, os hackers e os juízes concordaram): “F1 Results” por Daniel Rodrigues da Costa Filho, Fabio Dan Dias Cardoso e Iraê de Carvalho Brasil – uma visualização incrível dos resultados históricos da Fórmula 1 baseados na Ergast API e usando Canvas, CSS3 e HTML5 para fazer uma ótima interface rica.

Todos os hackers campeões ganharam uma mochila de notebook personalizada do Yahoo! Open Hack, um iPod Touch e o nosso respeito!

Ganhadores do Yahoo! Open Hack Day Brasil 2010
Foto: ganhadores do Yahoo! Open Hack Day Brasil 2010

Veja as fotos no nosso grupo do Flickr e mais posts sobre o evento na página de notícias do nosso wiki. Veja também a lista dos 48 hacks submetidos no Hack.Trackr e o nosso Delicious para alguns links interessantes.

Mais uma vez um obrigado especial para os meus queridos Anil Patel (@anilpatel) e Mayra Attuy (@mayra_attuy) que passaram os últimos três meses comigo ajustando cada detalhe desse evento. Obrigado também a toda equipe do Yahoo! Brasil – em especial Pedro Valente (@pedrovalente) e Antonio Carlos Silveira (@acarlos1000) que ajudaram MUITO – e a todos vocês hackers por terem vindo e hackeado por 24 horas sem parar criando projetos inspiradores, fazendo deste evento um grande sucesso!

Nos vemos no próximo Open Hack Day, aguardem notícias! :)

Programador “Religioso” x “Filósofo”

Monday, March 1st, 2010

Há algum tempo atrás enquanto usava o GTalk encontrei uma mensagem sensacional que o Anselmo Alves havia colocado no seu status:

“Philosophy is questions that may never be answered. Religion is answers that may never be questioned.”

(“Filosofia são questões que podem nunca ser respondidas. Religião são respostas que nunca podem ser questionadas.”)

Quando li essa frase imediatamente lembrei do que acontece no dia-a-dia do nosso mercado; do ambiente de trabalho a conferências e listas de discussão. Sem querer entrar em detalhes profundos ou em opiniões/flames sobre assuntos não-técnicos, vejo que existem dois tipos de programadores: os Religiosos e os Filósofos.

A palavra “religião” vem do latim “religio”, que significa “prestar culto a uma divindade”. Os programadores Religiosos fazem exatamente isso: aproveitam todas as oportunidades que podem para louvarem a sua linguagem ou framework favoritos. Os Religiosos dificilmente aceitam “religiões” diferentes da sua e os mais extremistas acreditam que a sua linguagem ou framework resolve todos os problemas do universo e são a chave da salvação da humanidade. Eles aceitam tudo cegamente e nunca reconhecem ou questionam os defeitos desses projetos que apoiam (e em alguns casos mais extremos até transformam esses problemas em “features”). Quando aparece um problema pela frente não precisa nem pensar: ele usará a sua ferramenta favorita para resolvê-lo, não importa o que seja (um padrão também conhecido como “One Ring to rule them all”).

“Filosofia” vem do grego “philos” (que ama) + “sophia” (sabedoria), ou seja, “que ama a sabedoria”. Filosofia é a investigação crítica e racional de questões, ou seja, um programador Filósofo não está procurando defender uma linguagem ou framework mas sim em investigar várias delas, analisar como elas funcionam e refletir sobre como elas podem ajudá-lo a resolver problemas. Os Filósofos são curiosos; eles sempre querem compreender e questionar o funcionamento e utilidade das ferramentas que usam. Quando precisam resolver um problema eles analisam de forma racional todas as opções que conhecem e se nenhuma delas for boa o suficiente eles pesquisam e procuram uma opção mais eficiente.

Um programador precisa resolver problemas complexos com qualidade e precisa ser cada vez mais produtivo/veloz para atingir um objetivo (desenvolver um produto, terminar um projeto da sua empresa e por ai vai). A melhor ferramenta não é a sua preferida ou aquela que você escolheu para seguir e amar, e sim aquela que te faz ser mais rápido, mais produtivo, com mais qualidade e que te dá mais conforto para trabalhar. A melhor ferramenta é a que melhor atende os requisitos da sua profissão e do seu projeto, não o seu ego (ou sua religião).

Seja menos “religioso” e mais “filósofo”! Com a mente aberta e sem encarar ferramentas como “a verdade definitiva” (ou descartando-as sem ao menos testar e conhecer como funcionam) você terá muito mais chances de ser bem-sucedido.