[Agile 2008 Conference] Henrik Kniberg: 10 ways to screw up with Scrum and XP

Gostei muito da apresentação do Henrik Kniberg “ensinando” 10 maneiras para arruinar seus projetos mesmo usando XP e Scrum. É óbvio que eu não quero acabar com os meus projetos, mas é legal debater sobre os erros mais comuns nas adoções de metodologias ágeis e seus motivos para poder evitá-los.

Uma coisa interessante é que o Henrik costuma usar com sucesso a mesma combinação de XP e Scrum que usamos na Globo.com. Não por acaso, tanto o seu livro Scrum and XP from the Trenches quanto a apresentação (mesmo quando ainda não tinha assistido) e o seu blog sempre foram boas fontes de referência para mim.

Resumidamente, as 10 maneiras mais comuns de arruinar projetos com XP e Scrum são:

  • Futilidades: debates homéricos sobre coisas como “vamos usar cartões ou post-its” quando o time sequer tem um P.O.! Os problemas devem ser atacados em ordem de importância. Além disso, a aplicação do processo não precisa ser perfeita desde o início. Good enough is good enough.
  • Definition of Done: muitos times não tem uma definição de pronto ou não respeitam essa definição. Isso não só é essencial como também é preciso que o cumprimento desta definição esteja dentro do controle do time.
  • Velocidade: não é conhecida, usada ou é muito variável ao longo das iterações.
  • Retrospectivas: não há retrospectivas e o time não evolui suas práticas ao longo do tempo aproveitando-se dos aprendizados obtidos nas iterações.
  • Comprometimento do time: time é cobrado e sempre culpado por erros em estimativas. Isso faz com que eles sempre se comprometam com menos do que podem fazer, com medo de serem culpados novamente.
  • Débito técnico: é totalmente ignorado e só cresce ao longo das iterações.
  • Trabalho em equipe: não há trabalho em equipe e existem tarefas fixas para determinadas pessoas, o que faz com que várias histórias sejam implementadas em paralelo.
  • Product Backlog: não existe ou não está priorizado corretamente.
  • Integrações da base de código: não existe um branch onde o código pode ser lançado em produção a qualquer momento e a gerência da base de código não é agil.
  • Sprint Backlog/quadro de tarefas: não existe, está longe do time, é muito complicado ou não é usado durante o Daily Scrum e atualizado diariamente.

É óbvio que essas não são as únicas maneiras de fazer besteiras em projetos com XP e Scrum e pode até ser também que tenham algumas maneiras mais “eficazes” que essas. No entanto esses problemas são muito comuns e acho que por isso mereceram destaque na apresentação.

Você pode encontrar os slides da apresentação no site do Henrik Kniberg. Esses slides são de uma apresentação um pouco mais antiga mas não há muitas diferenças.

Tags: , , , , , ,

7 Responses to “[Agile 2008 Conference] Henrik Kniberg: 10 ways to screw up with Scrum and XP”

  1. Parabéns gc, o blog tá bombante. Destaque especial para essas “10 maneiras”… :)

  2. Muito bom Guilherme! Essa apresentação é realmente espetacular, a poucos dias atrás baixei os slides e apresentei pra minha equipe, enxergamos muitas coisas, e já estamos começando a colher resultados. Recomendo a todos que estudem isso mais profundamente!!! Abraço.

  3. [...] O Guilherme Chapiewski da Globo.com está participando do evento e falou um pouco sobre a visão dele em relação a pelestra. [...]

  4. Milton Roman says:

    Muito legal o resumo, aproveitei e fiz uma análise no meu blog, considerando que estes mesmos fatores(com as devidas contextualizações) podem arruinar qualquer projeto de software, independente das ferramentas de gerência e engenharia de software utilizadas. Tudo bem que, deixar de usar agile já é um fator a mais para arruinar o projeto, mas acredito que vale a pena tentar chegar um pouco mais na raiz do problema.

  5. Guilherme, gostei muito do seu blog. É uma forma de me manter atualizado sobre o universo de desenvolvimento ágil. Apesar de ser fã do XP, em meu blog não defendo nenhum modelo especificamente. Outrossim, acho que as empresas precisam começar a desconfiar das promessas de consultores que tentam vender processos de desenvolvimento de software mais burocráticos e modelos de governança de TI. Minha opinião é que as empresas devem se preocupar mais com as pessoas do que com os processos. Pessoas competentes: essa é a chave para a produtividade! Não adianta lutar contra isso. É contrasensual. Gosto muito do artigo “CMM nos olhos dos outros é refresco”, disponível na internet. Parabéns e um abraço!

  6. O evento inteiro deve ter sido realmente espetacular, e essa uma das melhores palestras.
    O vídeo e os slides dessa apresentação no Agile 2008 estão disponíveis no InfoQ [http://www.infoq.com/presentations/Fail-Scrum-Henrik-Kniberg].

    Tomara que além do Falando em Agile [http://www.caelum.com.br/falando-em-agile/] aconteçam mais eventos de grande qualidade sobre desenvolvimento ágil por aqui, pra quem não pode ir pra tão longe.

    Continue blogando, você é referência pra muitos de nós. ;D

  7. [...] no site. Assistam no mínimo 10 Ways to Screw Up with Scrum and XP do Henrik Kniberg, que inclusive comentei aqui no blog! Essa é muito [...]

Leave a Reply