[QCon 2007] Ian Flint: Yahoo! Communities Architecture

A palestra do Ian Flint sobre a arquitetura do Yahoo! foi bem interessante. É bem legal saber como esses caras grandes funcionam e fiquei bem surpreso com algumas coisas.

Qcon 2007 - Ian FlintA principal delas foi saber que eles usam Hibernate para persistência em aplicações Java. O mais impressionante é que essa aplicação tem em torno de 50.000 transações de banco de dados por segundo! Isso pra mim derruba totalmente aqueles mitos de que Hibernate não escala, que não é flexível e não funciona para softwares “grandes” e “sérios”. Se isso não é grande eu não sei mais o que é! Além disso eles usam um set de frameworks bem comum: Spring, C3P0, Log4J, etc.

Outra coisa interessante é que a grande maioria das aplicações deles é em PHP. Ele não disse o percentual ou a quantidade mas enfatizou bastante o fato de ser a maioria das aplicações então deve ser bastante coisa. Em segundo lugar eles usam mais Python e só depois vem o Java. Eles também têm várias aplicações de back-end e componentes em C e C++.

Em relação a banco de dados, eles usam na maioria das aplicações MySQL e em segundo lugar Oracle RAC. Inclusive o Ian disse que foi a primeira vez em toda sua carreira que ele viu esse Oracle RAC funcionar… Pelo visto ele já teve algumas experiências traumáticas…

Para finalizar, tenho percebido que assim como todo o resto das empresas que estão aqui (eBay, LinkedIn, Oracle, etc) eles simplesmente não inventam arquiteturas complexas como às vezes imaginamos. O segredo é uma arquitetura o mais simples possível!

Download

Tags: , , , , , , , ,

No Responses to “[QCon 2007] Ian Flint: Yahoo! Communities Architecture”

  1. Rafael Ponte says:

    Muito interessante mesmo, eu gostei principalmente quando você disse,
    “[...] eles simplesmente não inventam arquiteturas complexas como às vezes imaginamos. O segredo é uma arquitetura o mais simples possível!”

    Parabéns, excelente post.

  2. [...] QCon 2007 Muito interessante a arquitetura do Yahoo! [...]

Leave a Reply