[QCon 2007] Eric Evans: Domanin-Driven Design

Qcon 2007 - Eric Evans - Domain-Driven DesignA apresentação do Eric Evans hoje sobre Domain-Driven Design foi excelente! A abertura do evento não poderia ter sido melhor!

Grande parte do que ele apresentou faz parte do seu livro sobre DDD, incluindo alguns dos exemplos usados no tutorial. Mas isso não fez com que as coisas ficassem menos interessantes. Muito pelo contrário, as discussões foram excelentes.

Falamos inicialmente sobre as características de um bom design de domínio. Na opinião do Eric um bom design é aquele que você consegue explicar para uma pessoa qualquer e ela entende mesmo não sendo especialista no negócio/domínio. Sobre codificação, o Eric falou que se interessa bastante pela clareza trazida por Fluent Interfaces, e DSLs internas e tenta usá-las sempre que possível pois aumenta muito a legibilidade do código. Além disso ele acredita que o uso de Behaviour-Driven Development é interessante no processo exploratório de um domínio e pode te ajudar a identificar e corrigir problemas de design.

Uma das frases que o Eric falou me lembrou a discussão que rolou na semana passada no GUJ sobre testes, TDD e etc: “Estamos no ano do Test-Driven Development e criar designs testáveis é essencial!”. Não quero acender novamente a discussão mas não posso deixar de dar a minha opinião nessa história. Realmente é inaceitável um software nos dias de hoje não ter uma suite de testes decente, não só pelos testes em sí mas por toda a influência positiva que isso traz no design do código, pela segurança que te dá para incluir novas funcionalidades e modificar existentes, segurança para corrigir bugs e tudo mais. Para mim é simplesmente impossível programar sem testes!

Guilherme Chapiewski e Eric EvansInfelizmente não consegui todo o material do curso porque o Eric utiliza esses materiais nos seus treinamentos e por isso não os disponibiliza publicamente. Mas eu consegui o Domain-Driven Design Pattern Summaries, que é um resumo de 39 páginas do livro dele com algumas coisas a mais. Achei bem interessante para se usar como referência. Esse resumo contém informações bem objetivas sobre todos os padrões apresentados no livro de DDD.

Além desse material o InfoQ disponibilizou a palestra Putting The Model To Work que foi uma das que o Eric apresentou para nós. Essa não foi exatamente a apresentação que tivemos mas foi bem parecida.

Para os leitores assíduos de blog, aí vai uma boa notícia: num dos intervalos eu perguntei para o Eric porque que ele não tinha um blog. Ele disse que ultimamente muitas pessoas têm feito essa pergunta e disse que está preparando alguma coisa nesse sentido. Perguntei sobre quando ele planeja lançar isso e ele disse que seria em breve! Com certeza será mais uma ótima fonte para leituras.

E para terminar, a gafe do dia: na hora do intervalo subitamente começamos a ouvir na sala vários barulhos estranhos de mictório e pia de banheiro… O Eric deu bobeira e foi no banheiro com o microfone sem fio ligado! Ao menos constatamos que o microfone era de boa qualidade porque o banheiro era meio longe, haha!

Tags: , , , , ,

No Responses to “[QCon 2007] Eric Evans: Domanin-Driven Design”

  1. Hahahahaha que coisa mais “corra que a polícia vem aí!”

  2. Cara que show. DDD já é um assunto foda, palestrado pelo próprio Eric Evans deve ter sido melhor ainda. Será que eles irão disponibilizar as palestras da QCon pra assistirmos ? :P

    Abração,
    Bruno Carvalho

  3. Fala Bruno!

    A apresentação principal que ele fez para nós chama-se “Putting The Model To Work” e o link está logo acima no post: http://www.infoq.com/presentations/model-to-work-evans :)

    Como falei, essa não foi exatamente a palestra que eu assistí mas é praticamente igual!

    [ ]s, Guilherme

  4. Também lembrei de “corra que a policia vem aí”. :-D

    Guilherme, alguma chance de vermos mais fotos do evento? Flickr?

    valeuz…

  5. Oi Marcos,

    Tá tudo muito corrido por aqui e eu acho que não vou ter tempo de colocar as fotos em algum lugar agora, provavelmente só quando voltar para o Brasil.

    Abraços,
    Guilherme

Leave a Reply