Refatorando para aspectos

Acabo de assistir no InfoQ uma apresentação do Ramnivas Laddad sobre refatoração de aplicações para AOP.

Assistindo a explicação dele dá para entender a linha de raciocício que ele segue e a quantidade de possibilidades que a programação orientada a aspectos traz. Realmente é um saco fazer repetidamente código para controlar permissões, erros, transações, concorrência e outros mais. Com AOP a quantidade de esforço para implementar este tipo de situação é reduzida consideravelmente e este artigo trata exatamente disso: reconhecer trechos de código que são candidatos a serem reescritos para se tornarem aspectos.

Porém eu acho que deve-se tomar muito cuidado ao sair refatorando a sua aplicação para aspectos. Imagina um sistema com centenas de classes que possuem dezenas de aspectos diferentes. A impressão que eu tenho é que se você tem aspectos demais o sistema pode ficar até mais difícil de programar. Isto porque se você tem código fora do método sendo executado “dentro” do método, a clareza em relação ao que ele faz fica reduzida. Multiplique isso por centenas de classes e métodos e você tem um monstro indomável.

Mesmo assim a abordagem dele é bem interessante pois quando utilizada corretamente estimula a produção de CÓDIGO com lógica de negócio ao invés de código que não tem nada a ver com o que o sistema realmente faz, tornando o desenvolvimento mais produtivo.

Tags: , , , ,

One Response to “Refatorando para aspectos”

  1. Eu também tenho essa impressão. Eu imagino um estagnário sendo colocado pra tentar entender um código desses.

Leave a Reply